O Corpo Nulo

Prefácio: Contemporaneidade d’O Corpo Nulo’

Por Wladimir Saldanha   Escrevendo sobre Tasso da Silveira em 1940, um jovem Adonias Filho afirmava sem pejos: “sublimando o que no corpo é repelente e trágico, o homem se aproxima do estado de morte, de um momento de arte”[1]. Gostaria de começar com essa evocação, ou provocação, tanto pelo que nos diz de seu… Continuar lendo Prefácio: Contemporaneidade d’O Corpo Nulo’