Crítica Literária · Literatura Russa

“Angústia”, de Graciliano Ramos, à luz de Dostoiévski

Li Angústia pela primeira vez há 11 anos. Guardava dele uma impressão tão forte que logo se fez em opinião inabalável: obra de arte finíssima, produto da pena de um mestre. Reli-o recentemente. Seguem alguns apontamentos que vieram à tona da releitura: Dostoiévski. Entre a leitora que sou hoje e a que era há 11… Continuar lendo “Angústia”, de Graciliano Ramos, à luz de Dostoiévski